Cobertura da equipe “Carolina Maria de Jesus” (EMEF Paulo Setúbal) na Bienal do Livro

No dia 2 de setembro, nós da Equipe de Imprensa Jovem “Carolina Maria de Jesus”, da EMEF Paulo Setúbal, fomos visitar à 24º Bienal Internacional do Livro que acontece aqui em São Paulo, no pavilhão de exposições do Anhembi.

A primeira Bienal Internacional do Livro foi realizada na Praça da República, pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), em 1951. Atualmente, ela acontece a cada dois anos no Anhembi, mas já ocorreu em diversos outros lugares, como o Viaduto do Chá e a Expo Center Norte. Também ocorrem bienais do livro em outros estados como, por exemplo, no Rio de Janeiro (organizada desde 1983) e no Amazonas (organizada desde 2012). Neste ano, aproximadamente 684 mil pessoas visitaram a Bienal do Livro de São Paulo.

Em nossa cobertura, visitamos alguns dos diversos “stands” literários da Bienal. No stand de “Cordel e Repente”, vimos a apresentação de alguns artistas e aprendemos um pouco mais sobre a cultura nordestina e sobre a arte da xilogravura, entrevistando os xilógrafos José Lourenço e Valdério Costa. Em seguida, tivemos a oportunidade de entrevistar a escritora Elaine Rossi, que estava lançando seu livro “A Sétima Casa”, no estúdio exclusivo do Núcleo de Educomunicação da prefeitura de São Paulo. Ao final, entrevistamos alguns visitantes para ouvir o que eles tinham a dizer sobre a 24ª Bienal do Livro.

Foi uma experiência única ter participado deste evento como uma equipe de imprensa. Vocês podem conferir algumas fotos da nossa cobertura da Bienal na página da equipe: https://www.facebook.com/equipecarolinamariadejesus/

Em breve, postaremos lá também o vídeo com a nossa reportagem.

Imprensa Jovem realiza cobertura compartilhada da jornada pedagógica na DRE Capela do Socorro

Jovens repórteres de cinco EMEFs registraram os debates e oficinas realizados simultaneamente em cinco CEUs na zona sul da cidade

Por Núcleo de Educomunicação

Foto 1
Imprensa Jovem da EMEF Heitor de Andrade acompanha abertura da jornada.

Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Heitor de Andrade, Elisa Rachel Macedo de Souza, Desembargador Teodomiro Toledo Piza, Padre José Pegoraro e Manuel Vieira de Queiroz Filho. Centro Educacional Unificado (CEU) Cidade Dutra, Rubi, Navegantes, Três Lagos e Parelheiros. Equipes de Imprensa Jovem de cinco EMEFs, em cinco CEUs diferentes. Pode-se afirmar sem exageros que na última sexta-feira (13), a jornada pedagógica organizada pela Diretoria Regional de Educação (DRE) Capela do Socorro contou com uma cobertura cinco estrelas!

No CEU Cidade Dutra, a abertura do evento teve a presença do secretário municipal de educação, Gabriel Chalita. Enquanto ele dava as boas-vindas aos gestores e professores presentes, a estudante Jade Maia Silva, da Imprensa Jovem da EMEF Heitor de Andrade, escrevia em tempo real, no tablet, o lead da sua matéria.

A jovem repórter registrou que a fala do secretário reforçou algo sobre o qual a pedagogia há tempos vem insistindo: a inteligência não é determinada geneticamente nem se verifica na constituição do cérebro, mas é uma questão de circunstâncias e oportunidades. “Eu costumo falar muito sobre a dimensão do afeto no processo educativo. A escola precisa ajudar as pessoas a pensar sobre suas escolhas – ou então o conteúdo não terá sentido”, declarou o secretário.

Ao lado de Jade, estavam seus colegas Mirella Alves de Lima, Allan Mesquita Santos, Matheus Hideki Nagalchi e a professora Luciana Sanches. “A gente desenvolve o trabalho com agência de notícias há algum tempo na escola, mas só em abril deste ano nos credenciamos como Imprensa Jovem. Estamos com três turmas de 15 estudantes cada, trabalhando com rádio, jornal mural e Facebook”, contou Luciana. “É a primeira cobertura externa de que participo. Estou aprendendo bastante”, comemorou Mirella.

Foto 2
Professora Luciana Sanches orienta o trabalho dos jovens repórteres.

CEU Vila Rubi

A Imprensa Jovem da EMEF Elisa Rachel Macedo de Souza estava representada no CEU Vila Rubi, pela manhã, pelos estudantes Alice Lohayne, Ana Caroline Martins Dantas, Milena Alexandra da Silva e Pedro Victor Brasil Silva, além do professor José Elias Rocha, mais conhecido como Tygrão. À tarde uma nova equipe da mesma escola chegaria para também fazer a cobertura da jornada pedagógica lá.

Na EMEF Elisa Rachel, a Imprensa Jovem existe desde 2010 e atualmente conta com 40 estudantes. O professor Tygrão comemorava o fato de que há 15 dias eles haviam conseguido comprar uma câmera fotográfica profissional, celular e tablet. E todo esse equipamento estava sendo muito bem empregado na cobertura dos debates e oficinas.

Foto 3
O jovem Pedro Victor recarrega a bateria da câmera fotográfica: “Ficou a noite toda carregando na escola, mas provavelmente alguém desligou o disjuntor”.

A coordenadora pedagógica da EMEI Carlos Drummond de Andrade, escola que estava oferecendo as oficinas “Cuidar e educar na educação infantil” e “Brincadeiras infantis nas diferentes culturas”, elogiou o trabalho dos jovens repórteres. “Eu sou apaixonada pela Imprensa Jovem. A presença deles aqui é importante inclusive para o professor, que se sente valorizado. Fazemos muitas coisas boas nas escolas, que muitas vezes não são tão conhecidas”, comentou a coordenadora.

Marisa Rodrigues, da Diretoria Pedagógica (DIPED) da DRE Capela do Socorro, também deu entrevista à garotada. Ela contou como a jornada pedagógica realizada simultaneamente nos cinco CEUs da região teve como diretriz o protagonismo das escolas: “Oitenta por cento das atividades que estão acontecendo aqui são realizadas pelos professores. Nossos docentes são pesquisadores e têm saberes importantes a serem partilhados”.

Foto 4
Imprensa Jovem da EMEF Elisa Rachel entrevista Marisa Rodrigues, da DIPED.

CEU Navegantes

A Teocomunica, equipe de Imprensa da EMEF Desembargador Teodomiro Toledo Piza, marcou presença no CEU Navegantes. Catorze estudantes trabalharam durante todo o dia inteiro, sob orientação da professora Dora Torres. Eles tiveram oportunidade inclusive de subir ao palco para apresentar seu trabalho e divulgar o blog.

Os estudantes em questão foram: Bruno Santos Cruz, Erika de Jesus, Giovanni Nogueira, Willian Galdino, Breno Vinícius Fialho, Nathália Gonçalves, Amanda Martins, Ana Luísa Guimarães, Gustavo Nascimento, Thiago Alves, Nicolle Reis, Islânia Camilla Gomes, Ana Beatriz Silvestre e Gabriel de Jesus.

Foto 5
Dora Torres conversa com os participantes da Teocomunica sobre a importância do trabalho coletivo.

Um deles, Thiago, recordou a primeira entrevista que realizou no projeto, na cobertura das Manhãs Olímpicas, no ano passado. “Eu fiquei muito nervoso. Mas agora não tenho vergonha de nada”, afirmou contente.

A Teocomunica teve a sorte de cobrir um debate (“Gestão democrática, participativa e colaborativa nas diferentes dimensões do espaço educativo”) no qual um dos palestrantes era o professor Bruno Magalhães Silviano, coordenador do Grêmio da própria EMEF Desembargador Teodomiro Toledo Piza. Ele defendeu que a escola cumpra sua função de equipamento público e se abra à comunidade: “Se alguma experiência democrática desanda, é porque ela deixou de ser democrática. Pode investigar que vocês descobrirão que alguém começou a concentrar poder”.

Foto 6
Gabriel de Jesus grava debate sobre gestão democrática no CEU Navegantes.

Ceu Três Lagos

A Imprensa Jovem da EMEF Padre José Pegoraro esteve pela manhã no CEU Três Lagos. Os estudantes João Abdala, Karen Fernanda, Laura Félix, Monique Kauana, Glória Dias e Para Eva acompanharam o debate “Por uma pedagogia das relações étnicorraciais”, que teve como convidados educadores indígenas dos Centros de Educação e Cultura Indígena (CECIs) Tenondé Porã e Krukutu, ambos em Parelheiros.

Com apoio do professor Nivaldo Luís dos Reis Ciríaco, eles também registraram as oficinas “Artesanato indígena”, “Brincadeiras com o CECI” e de robótica educativa. Esta última foi ofertada pela EMEF Ayrton de Oliveira Sampaio, cujo trabalho já foi tema de uma matéria da Imprensa Jovem da EMEF Florestan Fernandes.

Foto 7
Diferentes faces da tecnologia. CEU Três Lagos teve oficinas de artesanato indígena e robótica educativa.

Foto 8

“O trabalho da Imprensa Jovem tem relevância pedagógica. Constrói linguagem, abordagem, gera potencial comunicativo”, afirmou o diretor regional da Capela do Socorro, Paulo Cesar Deloroso, em entrevista no CEU Três Lagos. Ele estava acompanhado de Sueli Stovani, também da DRE Capela do Socorro, que acrescentou: “Foi uma ousadia da DRE fazer essa jornada. Ela significa um passo a mais na caminhada para uma educação integral, na construção de um currículo que promova o diálogo entre teoria e prática, entre educandos e educadores”.

A EMEF do CEU Três Lagos também está em processo de construção da Imprensa Jovem. Eles inclusive estão fazendo o curso Imprensa Jovem Online – Telejornalismo, sob supervisão do professor Adeílton Ramos de Freitas. Os estudantes de lá puderam trocar ideias e conhecimentos com os já experientes jovens repórteres da EMEF Padre José Pegoraro.

CEU Parelheiros

O currículo, aliás, foi o eixo dos debates realizados no CEU Parelheiros. Pela manhã, o tema foi “Currículo integrador e desenvolvimento humano”. À tarde, “Currículo emancipatório: a escola enquanto espaço de transformação social”.

Foto 9
Kevin dos Santos registra pública da jornada pedagógica no CEU Parelheiros

Aqui, a cobertura jornalística juvenil teve o valor extra de ser realizada pelos estudantes da escola localizada no próprio CEU Parelheiros: a nascente Imprensa Jovem do CEU EMEF Manuel Vieira de Queiroz Filho. “Estamos começando os trabalhos da agência de notícia agora. E aceitamos o desafio de participar dessa cobertura compartilhada”, contou a professora Kátia da Silva Pedro, que estava acompanhada dos estudantes Kevin dos Santos Araújo, Talita da Silva Andrade, Amanda Letícia Mori Gondim e Hagatha Lorrany Soares Santos.

Foto 10
Hagata Lorrany Soares Santos acompanha apresentação do grupo Os Escritureiros, que conduziu os professores até o espaço das oficinas, no CEU Parelheiros.

 

Arte e muita emoção marcam comemoração dos 10 anos da Imprensa Jovem

Coordenador do Núcleo de Educomunicação, Carlos Lima, organiza selfie coletiva
Coordenador do Núcleo de Educomunicação, Carlos Lima, organiza selfie coletiva

Nesta terça-feira (15), o auditório Prestes Maia da Câmara Municipal (mais conhecido como plenarinho) foi palco de uma grande festa: o Seminário Nas Ondas do Rádio – 10 Anos da Imprensa Jovem. As 180 pessoas que lotaram o espaço, em sua maioria estudantes, professores e gestores participantes do projeto, foram brindados com um verdadeiro show marcado pelo protagonismo das crianças e jovens que fazem o dia a dia das 150 agências de notícias espalhadas nas escolas municipais da cidade. Não faltaram relatos e depoimentos emocionados e emocionantes, música, declamação de poesia, cobertura educomunicativa, lançamento do concurso de fotografias “Meu Bairro é Zica” e, ao final, um animado “parabéns para vocês” cantado em coro por todos os presentes.

O seminário foi aberto com música e poesia pelos integrantes do projeto “Arte e Intervenção Social”, desenvolvido desde 2013 na Escola Municipal de Ensino Fundamental – EMEF Profº Aurélio Arrobas Martins sob coordenação do professor Daniel Carvalho de Almeida. Neste ano, eles lançaram o segundo volume do livro “Entre versos controversos: o canto de Itaquera” e conquistaram o primeiro lugar no Prêmio Paulo Freire de Qualidade de Ensino Municipal.

Ao longo de todo o evento, os jovens músicos e poetas de Itaquera encantaram o público recitando poesias de sua autoria. Os versos, de fato, colocavam o dedo na ferida de controvérsias bem atuais, como a manipulação da mídia comercial, o machismo e a tentativa de criminalizar a ocupação das escolas estaduais em São Paulo.

“Arte e Intervenção Social” brincou o público com poesia. Na foto, o coordenador do projeto, Daniel Carvalho
“Arte e Intervenção Social” brincou o público com poesia. Na foto, o coordenador do projeto, Daniel Carvalho

Os dois casais de mestres de cerimônias do seminário também deram um espetáculo à parte. Além de conduzir a programação e apresentar de forma precisa e descontraída cada convidado, os jovens Isabela Rosa, Gabriel Dias, Maria Eduarda Silva de Oliveira e Luis Felipe Oliveira contaram sobre suas trajetórias na Imprensa Jovem.

Houve ainda a exibição de dois vídeos curtos produzidos especialmente para o evento. O primeiro, uma versão condensada do documentário sobre a Imprensa Jovem feito por Tainá Shimoda.

O documentário foi o trabalho de conclusão de curso (TCC) de Tainá, que se formou neste ano em Jornalismo pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP). A jovem trabalha com educomunicação desde 2006, quando era estudante na escola Nossa Senhora das Graças e participou de um projeto. “Queria fazer o TCC sobre algo de que eu realmente gostasse. Por isso uni audiovisual e educomunicação”, contou.

O outro vídeo exibido foi produzido pelos formadores do Núcleo de Educomunicação com depoimentos de pessoas chave na história da Imprensa Jovem. O resultado pode ser conferido aqui:

Diálogo I – A voz e a vez do(a) jovem educomunicador(a)

Gabriela Vallim, Cícero Ivanilson Silva, Dodô Calixto e Laís Costa compuseram a mesa “Diálogo I – a voz e a vez do(a) jovem educomunidor(a)”. A mediação foi do professor Ismar Soares, do Núcleo de Comunicação e Educação (NCE) da ECA/USP, que de 2001 a 2004 desenvolveu o projeto piloto Educom.Rádio, embrião do Programa Nas Ondas do Rádio.

O professor Ismar Soares, do NCE/ECA/USP, também se rende ao selfie, com Gabriela Vallim
O professor Ismar Soares, do NCE/ECA/USP, também se rende ao selfie, com Gabriela Vallim

Gabriela contou que começou a participar da Imprensa Jovem em 2007, quando estava na 7ª série. Ela cursou Jornalismo e criou uma agência de notícias que está iniciando um projeto educomunicativo em Angola. Neste ano, representou o Brasil na Assembleia Geral da ONU, em Nova Iorque, falando sobre o movimento #15contra16, de luta contra a redução da maioridade penal. “Quando iniciei a faculdade, fiquei frustrada: ninguém sabia o que era educomunicação. Quase entrei em crise, porque não gostava tanto de escrever. Mas ter participado da Imprensa Jovem e do movimento negro me deu forças. Descobri que minha vocação é usar a comunicação para transformar vidas”, afirmou a jovem.

“Comecei a ir ao Educom.Rádio porque ia ter lanche e futebol. Mas logo fui surpreendido pela experiência de diálogo horizontal entre professores e estudantes. Ter direito a voz foi uma experiência marcante, transformadora, um divisor de águas na minha vida”, revelou Dodô. Ele também se formou em Jornalismo, estudou durante um ano e sete meses nos Estados Unidos (com bolsa de estudos conquistada por ser bom atleta) e, agora, está fazendo mestrado na ECA/USP.

Já para Cícero Ivanilson, a educomunicação inicialmente foi uma válvula de escape para enfrentar o preconceito que sofreu na escola, por ser negro e nordestino. Ele chegou a São Paulo em 2013, vindo de Crato, no Ceará. “Participei do Nas Ondas do Marili durante dois anos, mas pareceram dez, de tão intensos. A Imprensa Jovem me ajudou a consolidar e afirmar a minha identidade”, disse o jovem, que foi muito aplaudido ao afirmar que pretende seguir carreira docente, como professor de Português.

Laís Costa, que também participou do Educom. Rádio, foi uma das primeiras integrantes da Imprensa Jovem. “Eu fiz de tudo: fui mestre de cerimônias, sonoplasta, editora, repórter, formadora. É uma alegria estar aqui, rever tanta gente querida. Não consigo parar de sorrir. Se daqui a 10 anos me convidarem novamente, eu virei, mesmo que esteja nos Estados Unidos”, ressaltou a jovem.

Diálogo II – Desafios da educomunicação na rede          

O coordenador do Núcleo de Educomunicação, Carlos Lima, saudou os participantes com uma breve fala sobre as dificuldades enfrentadas pelo projeto e, principalmente, sobre o seu crescimento e vários frutos já colhidos: “A educomunicação em nossas escolas, codinome projeto Educom.Rádio, se transformou em Programa Nas Ondas do Rádio e agora em Núcleo de Educomunicação. Obrigado aos educadores apaixonados que não olham as desconfianças e levam adiante seus projetos com garra, como guerreiras e guerreiros. Obrigado aos estudantes, não alunos, por vocês têm luz, e por isso devem ter suas vozes ouvidas na construção de políticas públicas”.

O segundo painel do seminário, “Diálogo II – Desafios da educomunicação na rede”, teve o formato de depoimentos entrecortados por poesias do “Arte e Intervenção Social”. Os convidados eram: Cristina Massei, gestora de Tecnologias para Aprendizagem Diretoria Regional de Educação – DRE Campo Limpo; Maria Rita Teixeira de Araújo, repórter do projeto Rádio JMS 4.0, da EMEF Gal. Júlio Marcondes Salgado; Nalva Marques, co-coordenadora do projeto Rádio Cartola, da EMEI Agenor de Oliveira Cartola; e Silene Lourenço, formadora do Núcleo de Educomunicação.

Maria Rita, que desde 2013 atua na Rádio JMS, também destacou o trabalho árduo, a persistência e os muitos resultados que a Imprensa Jovem gera: “Perdi a vergonha, melhorei minhas notas, fiz novos amigos, conheci novos lugares. Passei a pensar mais em equipe: agora é nós, no lugar do eu. Mas tudo isso não foi fácil, de uma hora para outra: foi um processo”.

Seminário contou com a cobertura educomunicativa da Rádio JMS. Na foto, registro do depoimento da estudante Maria Rita Teixeira de Araújo
Seminário contou com a cobertura educomunicativa da Rádio JMS. Na foto, registro do depoimento da estudante Maria Rita Teixeira de Araújo

Desafios também não faltaram (e não faltam) à pioneira Rádio Cartola, criada em 2013. “Mas gente apaixonada contamina. Com muito esforço, aos poucos fomos ganhando a confiança da gestão”, explicou Nalva. “Não há muito material para educação infantil sobre educomunicação. Por isto, estamos produzindo o nosso”, completou ela.

Cristina contou que entrou em contato com o Educom.Rádio em 2004, quando professora da Informática Educativa. Por meio do seu relato, ela aproveitou para listar alguns conselhos preciosos. Entre eles: ouvir pessoas mais velhas e valorizar a experiência como material de reflexão (e não repetição automática) e compreender que um conhecimento não é mais importante do que o outro, já que eles se complementam.

Silene, que é graduada em História e está concluindo o doutorado em Ciências da Comunicação na ECA/USP, compõe a equipe de formadores do Programa Nas Ondas do Rádio desde 2010. Ela lembrou emocionada os percalços e vitórias da implementação da política pública de educomunicação da Prefeitura de São Paulo, processo que acompanha desde 2001. E arrancou gargalhadas ao justificar por que havia trazido seu depoimento escrito: “Se for de improviso, eu falo demais ou travo. Na minha época não tinha Imprensa Jovem”, brincou a formadora.

O seminário contou com tradução em libras e transmissão ao vivo da TV Câmara. A Rádio Câmara também fez a cobertura, que pode ser conferida neste podcast.

Cobertura educomunicativa do Seminário fica por conta da equipe Rádio JMS

WP_20151215_17_56_44_ProA equipe Imprensa Jovem da Rádio JMS da EMEF Gal. Julio Marcondes Salgado vai ficar atenta a tudo e a todos durante o Seminário Nas Ondas do Rádio – 10 anos Imprensa Jovem. Com câmera, celular e gravador nas mãos, os repórteres serão os responsáveis pela cobertura educomunicativa do encontro.

Para deixar todos conectados ao evento, a equipe estará ao vivo, inclusive, no Periscope.

Quem quiser conhecer mais essa galerinha, basta acessar o blog. Eles estão também no Twitter (@jmsradio) e no Facebook.

“Seminário Nas Ondas do Rádio – 10 anos da Imprensa Jovem” acontece hoje em São Paulo

Imprensa Jovem (sem contorno)PNGFaltam poucas horas para o evento que pretende movimentar a juventude de São Paulo. A partir das 18h30, terá início na Câmara Municipal o “Seminário Nas Ondas do Rádio – 10 anos da Imprensa Jovem”. O encontro irá celebrar mais de uma década da presença da Educomunicacão  na Rede Municipal de Ensino de São Paulo.

Ao longo deste período, milhares de estudantes puderam experienciar momentos de aprendizado com as linguagens de comunicação e suas tecnologias em processos pedagógicos que potencializam a participação, o protagonismo, a colaboração e o uso crítico e criativo  das linguagens midiáticas. Seja por meio do rádio, cinema, vídeo, mídias sociais, fotografia, jornal e HQs,  crianças e adolescentes têm ressignificado o papel da mídia na escola.

E toda essa história poderá ser conferida de perto pelos presentes no Seminário. O evento dará voz privilegiada aos jovens que irão compartilhar suas experiências no projeto e o  que este proporcionou em suas vidas.

Durante os dois diálogos programados, participarão também das conversas professores que atuam no projeto Imprensa Jovem nas escolas, assim como especialistas da área, como o professor Dr. Ismar Soares, idealizador do projeto Educom.Rádio e um dos mais importantes especialista mundiais na área de Comunicação para e com a Educação.

O evento contará ainda com apresentação cultural e cobertura jornalística de repórteres da Imprensa Jovem.

Conheça nossos convidados para o seminário no dia 15. E você, vem?

Faltam poucos dias para o Seminário Nas Ondas do Rádio – 10 anos de Imprensa Jovem! Será na terça (15), a partir das 19h, na Câmara Municipal de São Paulo, e terá convidados muito especiais. Esperamos a sua presença!

Mestres de Cerimônia juvenis: 

Gabriel Dias – Desde 2007, integra o projeto EDUCOM “Nas ondas do Mange”, colaborando, desde o ano passado, como mentor dos alunos atuais da escola. Estudante de Jornalismo, acredita no potencial das novas mídias para transformar o mundo.

Isabela Rosa – Isabela Rosa é graduanda em Licenciatura em educomunicação pela ECA/USP. Em 2011, atuou na formação de professores em ferramentas de comunicação, pela Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, pelo Programa Nas Ondas do Rádio. Desde então, vem trabalhando em projetos de educomunicação no estado de São Paulo.

Maria Eduarda Silva de Oliveira – Atualmente, estuda na EMEF Coelho Neto, na zona leste de São Paulo. Gosta de estudar nesta escola, principalmente, em razão do projeto Imprensa Jovem, que colaborou para que perdesse a timidez e a vergonha de falar em público. Pretende cursar Jornalismo, quando finalizar o Ensino Médio.

Luis Felipe Oliveira – Com 12 anos de idade, já tem muitas conquistas, como colaborador da Imprensa Jovem da EMEF Coelho Neto e também idealizador da campanha #15contra16, contra a redução da maioridade penal.

Apresentação cultural: Projeto Arte e Intervenção Social – Composto por alunos e alunas musicistas e poetas. Recentemente, lançaram o livro Entre versos controversos: o canto de Itaquera. O objetivo da equipe é melhorar a realidade à sua volta por meio da arte.

DIÁLOGO – A voz e vez do(a) jovem educomunicador(a)

Cícero Ivanilson Silva Gonçalves – Jovem Educomunicador e Conselheiro em Direitos Humanos, atualmente é estudante do 1º ano no ensino médio. Ex-aluno e colaborador do projeto “Nas Ondas do Marili” da EMEF Profª. Marili Dias.

Dodô Calixto – Jornalista formado pela Unesp e mestrando do Programa de Ciências da Comunicação/ ECA-USP, atua como editor multimídia do portal Opera Mundi, site especializado em notícias internacionais. Trabalhou com educomunicação no projeto Mais Educação em Bauru. Foi um dos alunos que, com muito orgulho, cursaram o Educom.Rádio em 2003 pela EMEF Assad Abdalla.

Gabriela Vallim – Ex-integrante do Imprensa Jovem – Nas Ondas do Rádio. Empreendedora social, comunicadora, repórter do Portal da Juventude na USP (Universidade de São Paulo). Pesquisadora de Relações Étnico-Raciais e articuladora do Juventude Viva (programa do Governo Federal para combate à violência contra juventude negra).

Ismar de Oliveira Soares – Professor Titular Sênior da Universidade de São Paulo. Coordenou, de 1996 a 2014, o NCE – Núcleo de Comunicação e Educação da ECA-USP. Promoveu, entre 2001 e 2004, o Projeto Educom.rádio (que promoveu a formação de 11 mil professores e alunos da rede municipal de ensino de São Paulo, para o uso educomunicativo das linguagens midiáticas no espaço escolar). Coordenou a implementação da Licenciatura em Educomunicação junto à USP e, atualmente, é presidente da ABPEducom – Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais da Educomunicação.

Lais Costa – Foi uma das primeiras alunas do projeto Rádio Pasquale, à época, como parte do Educom.Rádio e permaneceu na Imprensa Jovem de 2001 a 2012. Atualmente é modelo.

DIÁLOGO – Desafios da Educomunicação na Rede

Carlos Alberto Mendes de Lima – Carlos Mendes de Lima é coordenador do programa Nas Ondas do Rádio – Núcleo de Educomunicação. Professor e radialista, faz parte do Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação – SP.  Idealizador do projeto Imprensa Jovem.

Cristina Barroco Massei Fernandes  – Graduada em Pedagogia pela Universidade de São Paulo, Especialista em Tecnologias na Aprendizagem pelo SENAC SP, Coordenadora Pedagógica e formadora de professores e gestores na Diretoria Regional de Educação Campo Limpo, em que responde pelas frentes de Tecnologias para Aprendizagem e do Núcleo de Educomunicação.

Ednalva Marques de Sousa – Pós-graduada em Mídias na Educação pela Universidade Federal de Ouro Preto, formada em Pedagogia Licenciatura plena e Gestão Escolar pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atualmente, trabalha na EMEI Angenor de Oliveira Cartola como professora regente e co-coordenadora do Projeto Rádio Cartola – Gestão de mídias na Educação Infantil, desde o ano de 2011.

Maria Rita Teixeira de Araújo Moreno – Com 13 anos, a estudante da EMEF Gal. Julio Marcondes Salgado ingressou no projeto da Rádio JMS em 2013, atua como entrevistadora oficial da equipe. Já realizou uma série de entrevistas, dentre elas, Maurício de Sousa, David Albury, Dudu Nobre, Victor Meyniel e Emicida. Pretende seguir carreira na área de jornalismo.

Silene de Araujo Gomes Lourenço – Graduada em História, atualmente é doutoranda em Ciências da Comunicação e colaboradora do Núcleo de Comunicação e Educação da Escola de Comunicações e Artes da USP. Compõe a equipe de formadores do Programa Nas Ondas do Rádio desde 2010 e, desde 2001, acompanha a implementação da política pública de Educomunicação da Prefeitura de São Paulo.