Rádio Imprensa Jovem entrevista escritores na Bienal do Livro 2016

No estande da Prefeitura de São Paulo, o estúdio da Imprensa Jovem recebe autores, arte-educadores e organizações que promovem a  leitura.

Os estudantes da Imprensa Jovem – projeto de agências de notícias desenvolvido nas escolas municipais de São Paulo – realizam coberturas colaborativas na Bienal do Livro há 10 anos. A primeira experiência do projeto foi executada por cinco alunos e uma escola. Ampliada ano a ano, a cobertura em 2016 contou com a participação de 600 alunos e alunas repórteres de 80 unidades educacionais.

Os estudantes entrevistaram escritores como Ziraldo, Mauricio de Sousa e Pedro Bandeira, realizaram coletiva de imprensa com grandes nomes da TV brasileira como Francisco Cuoco, conversaram com Youtubers e entraram em contato com diversos  autores  estreantes e  idealizadores de projetos de leitura.

whatsapp-image-2016-09-03-at-12-07-16
Ziraldo e Imprensa Teen Azanha. Foto de Erika Monfardini.

A cobertura aconteceu nos estandes das editoras e das organizações, com gravação de vídeos, e também no estúdio da Rádio Imprensa Jovem, onde os alunos e alunas repórteres gravaram dezenas de entrevistas.  Com perguntas bem elaboradas e produzidas pelos próprios estudantes, os entrevistados puderam falar a respeito de suas obras.

whatsapp-image-2016-08-26-at-18-51-31
Maurício de Sousa e Imprensa Ligados no Mange. Foto de Vilma Nardes.

De acordo com Carlos Lima, a proposta da Rádio Imprensa Jovem na Bienal é a de possibilitar um espaço para divulgação de qualquer iniciativa que promova e apoie a leitura. Nesse sentido, o convite foi aberto a todos que quisessem falar sobre o tema.

whatsapp-image-2016-08-29-at-16-46-54
Equipe EMEI Cartola com formadores do Núcleo de Educomunicação. Foto de Carlos Lima

Ouça as entrevistas

Adriana Zanetta

Ana Barros (em breve)

Ana Moraes

Ana Rapha Nunes

André Esteves Martins Pinto

Anna Claudia Ramos

Babi Sette

Berimba

Beth Daniel (em breve)

Carlos Lima

Carlos Lima

Casa do Poeta (em breve)

Casemiro Dantas

Casemiro De Medeiros Campos (em breve)

Celise Melo Celele

Cesar Luis

Cida Lima

Claudia Regina Vicente Da Silva

Companhia Patética

Cia Pantorrilha

Coletivo Bicho Solto Homens de Cueca e Acuendas

Daniel GTR Coletivo SLAM

Daniel Jahchan

Dentro da História – Diego Moraes e Francisco Mendes

Edgar Izarelli e Lua Rodrigues

Ednei Procópio (em breve)

Eduardo Matos Graça (em breve)

Elaine Bastos

Elaine Rossi (em breve)

Eliana Machado

Eliana Portella

Elizabete Daniel

Elizete Lisboa

Elysanna Lousada

Erico Metzner

Ermilton Saraiva Panzo (em breve)

Fatima Antonio

Fatima Venceslau (em breve)

Francine Felizardo (em breve)

Francisco Mendes e  Diego Moraes

Francisco Cuoco/Biquini Cavadão

Gabriela Carloto Araujo e  Maria Isabel Carloto Araujo (em breve)

Geraldo Amancio  e Cacá Lopes (Repentista e cordelista)

Gilmar Soares Sobrinho

Guilvan Miragaya

Gustavo Rosseb

Helena Corazza

Helena Ritto e Elsio Rodrigues – Prosa dos Ventos (em breve)

Hermes Ferraz

Iara Gomes (Instituto IRIS – Cão Guia) (em breve)

Jacqueline Cunha (em breve)

Jason Ferreira Mafra

Jefferson Santana (em breve)

Jerusa Nina

Joao Canda

Joao Gomes De Sá

José Jurandir

Jose Soares

Josy Stoque

Letícia Kuerten

Lilian Fernandes

Lilian Reis

Lita Alves (em breve)

Lucas Limberti (em breve)

Luciane Camargo

Luciane Rangel (em breve)

Luciene Balbino (em breve)

Lully Oliveira

Marcos Fonseca

Manuzinha Fernandes

Maria Salete Soares

Mari Vasconi (Youtuber)

Marcos Fonseca

Marianna Angelo de Araujo

Mariza Almeida Pinto

Mirtes de Souza

Moustafá Assem

Nadia Campeão

Nathalia Oliveira

Paulo D’ Auria

Paulo Moregola

Pedro Bandeira

Pedro Bandeira

Pedro Ivo Teles de Santanta

Poetas Ambulantes

Professor Romão (Instituto Paulo Freire)

Roberta Saporetti Parollo

Roberto Tersus

Rose Farias

Roseli Lita Alves

Rouxinol de Rinaré e Genésio Costa

Salete Soares

Sheila Carvalho

Sheikh Hosni Abdelhamid Mohamed Youssef

Sidney Nicéas

Silvia Helena Milanesi (em breve)

Sofia Maia (em breve)

Sueli Gonçalves (Suelizinha)

Tião Simpatia (em breve)

Vera Ceroni

Vera Esau (CBL)

Vinicius Campos

Vinicius Grossos

Wânia Karólis

Yuri Meirelles

Zeca Machado

Anúncios

Imprensa Jovem realiza cobertura compartilhada da jornada pedagógica na DRE Capela do Socorro

Jovens repórteres de cinco EMEFs registraram os debates e oficinas realizados simultaneamente em cinco CEUs na zona sul da cidade

Por Núcleo de Educomunicação

Foto 1
Imprensa Jovem da EMEF Heitor de Andrade acompanha abertura da jornada.

Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Heitor de Andrade, Elisa Rachel Macedo de Souza, Desembargador Teodomiro Toledo Piza, Padre José Pegoraro e Manuel Vieira de Queiroz Filho. Centro Educacional Unificado (CEU) Cidade Dutra, Rubi, Navegantes, Três Lagos e Parelheiros. Equipes de Imprensa Jovem de cinco EMEFs, em cinco CEUs diferentes. Pode-se afirmar sem exageros que na última sexta-feira (13), a jornada pedagógica organizada pela Diretoria Regional de Educação (DRE) Capela do Socorro contou com uma cobertura cinco estrelas!

No CEU Cidade Dutra, a abertura do evento teve a presença do secretário municipal de educação, Gabriel Chalita. Enquanto ele dava as boas-vindas aos gestores e professores presentes, a estudante Jade Maia Silva, da Imprensa Jovem da EMEF Heitor de Andrade, escrevia em tempo real, no tablet, o lead da sua matéria.

A jovem repórter registrou que a fala do secretário reforçou algo sobre o qual a pedagogia há tempos vem insistindo: a inteligência não é determinada geneticamente nem se verifica na constituição do cérebro, mas é uma questão de circunstâncias e oportunidades. “Eu costumo falar muito sobre a dimensão do afeto no processo educativo. A escola precisa ajudar as pessoas a pensar sobre suas escolhas – ou então o conteúdo não terá sentido”, declarou o secretário.

Ao lado de Jade, estavam seus colegas Mirella Alves de Lima, Allan Mesquita Santos, Matheus Hideki Nagalchi e a professora Luciana Sanches. “A gente desenvolve o trabalho com agência de notícias há algum tempo na escola, mas só em abril deste ano nos credenciamos como Imprensa Jovem. Estamos com três turmas de 15 estudantes cada, trabalhando com rádio, jornal mural e Facebook”, contou Luciana. “É a primeira cobertura externa de que participo. Estou aprendendo bastante”, comemorou Mirella.

Foto 2
Professora Luciana Sanches orienta o trabalho dos jovens repórteres.

CEU Vila Rubi

A Imprensa Jovem da EMEF Elisa Rachel Macedo de Souza estava representada no CEU Vila Rubi, pela manhã, pelos estudantes Alice Lohayne, Ana Caroline Martins Dantas, Milena Alexandra da Silva e Pedro Victor Brasil Silva, além do professor José Elias Rocha, mais conhecido como Tygrão. À tarde uma nova equipe da mesma escola chegaria para também fazer a cobertura da jornada pedagógica lá.

Na EMEF Elisa Rachel, a Imprensa Jovem existe desde 2010 e atualmente conta com 40 estudantes. O professor Tygrão comemorava o fato de que há 15 dias eles haviam conseguido comprar uma câmera fotográfica profissional, celular e tablet. E todo esse equipamento estava sendo muito bem empregado na cobertura dos debates e oficinas.

Foto 3
O jovem Pedro Victor recarrega a bateria da câmera fotográfica: “Ficou a noite toda carregando na escola, mas provavelmente alguém desligou o disjuntor”.

A coordenadora pedagógica da EMEI Carlos Drummond de Andrade, escola que estava oferecendo as oficinas “Cuidar e educar na educação infantil” e “Brincadeiras infantis nas diferentes culturas”, elogiou o trabalho dos jovens repórteres. “Eu sou apaixonada pela Imprensa Jovem. A presença deles aqui é importante inclusive para o professor, que se sente valorizado. Fazemos muitas coisas boas nas escolas, que muitas vezes não são tão conhecidas”, comentou a coordenadora.

Marisa Rodrigues, da Diretoria Pedagógica (DIPED) da DRE Capela do Socorro, também deu entrevista à garotada. Ela contou como a jornada pedagógica realizada simultaneamente nos cinco CEUs da região teve como diretriz o protagonismo das escolas: “Oitenta por cento das atividades que estão acontecendo aqui são realizadas pelos professores. Nossos docentes são pesquisadores e têm saberes importantes a serem partilhados”.

Foto 4
Imprensa Jovem da EMEF Elisa Rachel entrevista Marisa Rodrigues, da DIPED.

CEU Navegantes

A Teocomunica, equipe de Imprensa da EMEF Desembargador Teodomiro Toledo Piza, marcou presença no CEU Navegantes. Catorze estudantes trabalharam durante todo o dia inteiro, sob orientação da professora Dora Torres. Eles tiveram oportunidade inclusive de subir ao palco para apresentar seu trabalho e divulgar o blog.

Os estudantes em questão foram: Bruno Santos Cruz, Erika de Jesus, Giovanni Nogueira, Willian Galdino, Breno Vinícius Fialho, Nathália Gonçalves, Amanda Martins, Ana Luísa Guimarães, Gustavo Nascimento, Thiago Alves, Nicolle Reis, Islânia Camilla Gomes, Ana Beatriz Silvestre e Gabriel de Jesus.

Foto 5
Dora Torres conversa com os participantes da Teocomunica sobre a importância do trabalho coletivo.

Um deles, Thiago, recordou a primeira entrevista que realizou no projeto, na cobertura das Manhãs Olímpicas, no ano passado. “Eu fiquei muito nervoso. Mas agora não tenho vergonha de nada”, afirmou contente.

A Teocomunica teve a sorte de cobrir um debate (“Gestão democrática, participativa e colaborativa nas diferentes dimensões do espaço educativo”) no qual um dos palestrantes era o professor Bruno Magalhães Silviano, coordenador do Grêmio da própria EMEF Desembargador Teodomiro Toledo Piza. Ele defendeu que a escola cumpra sua função de equipamento público e se abra à comunidade: “Se alguma experiência democrática desanda, é porque ela deixou de ser democrática. Pode investigar que vocês descobrirão que alguém começou a concentrar poder”.

Foto 6
Gabriel de Jesus grava debate sobre gestão democrática no CEU Navegantes.

Ceu Três Lagos

A Imprensa Jovem da EMEF Padre José Pegoraro esteve pela manhã no CEU Três Lagos. Os estudantes João Abdala, Karen Fernanda, Laura Félix, Monique Kauana, Glória Dias e Para Eva acompanharam o debate “Por uma pedagogia das relações étnicorraciais”, que teve como convidados educadores indígenas dos Centros de Educação e Cultura Indígena (CECIs) Tenondé Porã e Krukutu, ambos em Parelheiros.

Com apoio do professor Nivaldo Luís dos Reis Ciríaco, eles também registraram as oficinas “Artesanato indígena”, “Brincadeiras com o CECI” e de robótica educativa. Esta última foi ofertada pela EMEF Ayrton de Oliveira Sampaio, cujo trabalho já foi tema de uma matéria da Imprensa Jovem da EMEF Florestan Fernandes.

Foto 7
Diferentes faces da tecnologia. CEU Três Lagos teve oficinas de artesanato indígena e robótica educativa.

Foto 8

“O trabalho da Imprensa Jovem tem relevância pedagógica. Constrói linguagem, abordagem, gera potencial comunicativo”, afirmou o diretor regional da Capela do Socorro, Paulo Cesar Deloroso, em entrevista no CEU Três Lagos. Ele estava acompanhado de Sueli Stovani, também da DRE Capela do Socorro, que acrescentou: “Foi uma ousadia da DRE fazer essa jornada. Ela significa um passo a mais na caminhada para uma educação integral, na construção de um currículo que promova o diálogo entre teoria e prática, entre educandos e educadores”.

A EMEF do CEU Três Lagos também está em processo de construção da Imprensa Jovem. Eles inclusive estão fazendo o curso Imprensa Jovem Online – Telejornalismo, sob supervisão do professor Adeílton Ramos de Freitas. Os estudantes de lá puderam trocar ideias e conhecimentos com os já experientes jovens repórteres da EMEF Padre José Pegoraro.

CEU Parelheiros

O currículo, aliás, foi o eixo dos debates realizados no CEU Parelheiros. Pela manhã, o tema foi “Currículo integrador e desenvolvimento humano”. À tarde, “Currículo emancipatório: a escola enquanto espaço de transformação social”.

Foto 9
Kevin dos Santos registra pública da jornada pedagógica no CEU Parelheiros

Aqui, a cobertura jornalística juvenil teve o valor extra de ser realizada pelos estudantes da escola localizada no próprio CEU Parelheiros: a nascente Imprensa Jovem do CEU EMEF Manuel Vieira de Queiroz Filho. “Estamos começando os trabalhos da agência de notícia agora. E aceitamos o desafio de participar dessa cobertura compartilhada”, contou a professora Kátia da Silva Pedro, que estava acompanhada dos estudantes Kevin dos Santos Araújo, Talita da Silva Andrade, Amanda Letícia Mori Gondim e Hagatha Lorrany Soares Santos.

Foto 10
Hagata Lorrany Soares Santos acompanha apresentação do grupo Os Escritureiros, que conduziu os professores até o espaço das oficinas, no CEU Parelheiros.

 

Literatura e identidade marcam aula presencial do curso Imprensa Jovem Online Telejornalismo

Por Thaís Brianezi, formadora do Núcleo de Educomunicação

Foto VOPO
Felipe, Erick, Caio e Thaís, integrantes do VOPO – Vozes Poéticas, encantaram os educadores com poesia engajada. (Crédito: Salete Sorares , formadora do Núcleo de Educomunicação)

Neste sábado (16) aconteceu o segundo encontro presencial do curso Imprensa Jovem Online (IJO) Telejornalismo. O evento ocorreu no auditório da Secretaria Municipal de Educação (SME) e teve como público alvo 115 educadores que até o dia 20 junho participarão da referida formação, junto com os estudantes que compõem as equipes da Imprensa Jovem nas respectivas escolas. Os outros 65 educadores também inscritos no curso já haviam participado da aula inaugural na última quinta-feira.

O grupo VOPO – Vozes Poéticas, da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) General Paulo Carneiro Thomaz Alves, da Diretoria Regional de Educação (DRE) Jaçanã Tremembé, encantou os presentes ao mostrar na prática o que literatura e educomunicação podem ter em comum: o incentivo ao protagonismo infanto-juvenil, à leitura crítica da realidade e à produção colaborativa e engajada. “A gente começou como uma iniciativa do Mais Educação federal. Mas não somos um projeto, somos uma ação social”, sintetizou o professor Felipe Yanez, um dos fundadores desse movimento que nasceu na escola e se expandiu para além dos seus muros. “Nossa escola carrega o estigma de ser ´a escola da latinha na favela da funerária`. Mas agora vão construir um CEU [Centro Educacional Unificado] onde havia a funerária. Já que estamos aqui falando de literatura e identidade, isso diz muita coisa”, completou ele.

O professor Felipe estava acompanhado de outros três integrantes do VOPO: Erick, estudante da EMEF Gal. Paulo Carneiro, e os ex-alunos de lá, Caio e Thaís. Os três deram um show ao declamar poemas de sua autoria e defender de forma convicta e muito bem fundamentada a proposta pedagógica do grupo. “Como estou falando a professores, faço aqui um apelo: não desistam de seus alunos. Deem vez e voz a eles”, pediu Caio. “O trabalho com a cultura latino-americana me ajudou inclusive a entender e me relacionar melhor com o meu vizinho boliviano”, contou Erick. “Poesia não são só palavras bonitas, mas de fantasia. A gente escreve sobre nossa realidade”, afirmou Thaís.

O outro convidado do dia, Vinebaldo Aleixo de Souza Filho, do Núcleo Étnico-racial da SME, contribui para acrescentar uma perspectiva histórica à chamada literatura periférica. “Por muito tempo se acreditou que a Imprensa Negra no Brasil começou com o OMLCK, publicado em 1915. Mas hoje se sabe que desde 1833 o Francisco de Paula Brito publicava o jornal ´O Homem de Cor`, que depois passou a se chamar ´O Mulato`”, explicou o educador, que ministra o curso “ Literatura, etnicidade e gênero”. “Eu nasci no Jardim Capelinha, como o escritor Ferréz. E foi só quando estava no cursinho da Poli que descobri ´Vidas Secas` [obra de Graciliano Ramos], livro que me ajudou muito a compreender minha história, a trajetória da minha família do Nordeste até aqui”, contou Vinebaldo.

 

Encontro presencial marca inauguração do curso Imprensa Jovem Online – Telejornalismo

Thaís Brianezi, formadora do NOR

 

Sueli Fonseca
Sueli Fonseca inspirou os presentes ao contar como criou o programa Academia Estudantil de Letras (Crédito: Kassandra Brito, formadora do NOR).

Nesta quinta-feira (dia 14), aconteceu o primeiro encontro presencial do curso Imprensa Jovem Online (IJO) – Telejornalismo, ofertado pelo Núcleo de Educomunicação (antigo programa Nas Ondas do Rádio – NOR) da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (SME). O evento ocorreu no auditório da SME e teve como público alvo 65 professores participantes do curso. Os outros 115 professores que se inscreveram com suas equipes de Imprensa Jovem na formação participarão do encontro presencial neste sábado (16) de manhã, também na SME.

“O curso Imprensa Jovem Online tem um caráter diferenciado, porque ele é feito em conjunto pelos professores e estudantes que compõem as agências de notícias nas escolas”, destacou Carlos Lima, coordenador do NOR. “É a primeira vez que damos o curso inteiro dedicado ao Telejornalismo. A gente sentiu essa demanda e espera, com isso, contribuir para qualificar ainda mais as produções audiovisuais das equipes da Imprensa Jovem”, explicou a coordenadora do curso, a formada Isabel Santos.

O curso irá até junho e está dividido em quatro grandes módulos: 1) Leitura crítica do telejornalismo brasileiro; 2) A pauta e o texto para televisão; 3) A produção audiovisual em si: a captação de imagem e voz; 4) Edição audiovisual: princípios e técnicas. “Vamos começar discutindo o fato de as televisões no Brasil serem concessões públicas, quais as regras que elas deveriam seguir, por que não seguem e como a gente pode se mobilizar para cobrar mais diversidade e qualidade na programação”, detalhou a conteudista Thaís Brianezi, formadora do NOR.

Literatura

A temática transversal desta edição do IJO é literatura. As duas edições anteriores se debruçaram sobre a sustentabilidade e, depois, as relações étnico-raciais. “A escolha do tema foi estratégica, porque queremos preparar as equipes da Imprensa Jovem para a cobertura compartilhada da Bienal Internacional do Livro, em agosto”, revelou Isabel Santos.

Sheila Ferreira Costa Coelho, coordenadora do Núcleo Sala e Espaço de Leitura da SME, enfatizou a importância de abrir espaço para a chamada literatura marginal nas escolas: “A ideia é não silenciar nenhuma narrativa. Não vamos deixar de ler os autores canônicos, mas queremos valorizar a produção de alta qualidade que vem da periferia e tende a permanecer invisibilizada”, ponderou ela.

Também do Núcleo Sala e Espaço de Leitura, Diogo Marciano emocionou os presentes ao ler o conto “O Novo Brinquedo”, de Rodrigo Ciríaco, publicado na coletânea “Eu sou Favela” e disponível também no blog do autor.  “A possibilidade da violência é real, mas não resume a periferia”, sintetizou o educador, diante de uma plateia surpreendida com o final do texto.

A emoção marcou ainda a fala da coordenadora do programa Academia Estudantil de Letras (AEL), Sueli Fonseca. Ela relatou como a iniciativa surgiu, em 2005, quando era professora da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF Padre Antônio Vieira). E como foi aos poucos se expandindo, até chegar às atuais 79 academias existentes. “Quando a gente fala em literatura, faz um convite para ouvir a própria alma. A literatura tem duas funções primordiais: promove conhecimento e humaniza. Ela gera autoconhecimento, movimento e transformação”, defendeu a educadora.

“Os meus estudantes estão muito animados com a proposta do curso”, contou a professora Doralice dos Santos, da EMEF Desembargador Teodomiro Toledo Piza. “Eles me perguntam todo dia se já podem entrar no Edmodo, se o material já está no ar”, completou ela.

24ª Bienal do Livro de São Paulo – Vem com a gente!

Ponto de vista de autores e participantes da Bienal do Livro.

Registro do ponto de vista do visitante da Bienal, bem como suas dicas e observações, além de entrevistas a autores e participantes da feira como maneira de apresentar sua diversidade e importância na visita.

Vídeo da entrevista: https://www.youtube.com/watch?v=Ki9FCh1M55s

EMEF OLEGÁRIO MARIANO
Imprensa Jovem
Professores: Paulo de Freitas Torra e William Agnaldo Stevanato
Samira Damasceno, Analia Beatriz e Guilherme Dias – Repórteres
Gleybson Rafael e Raissa Felizardo – Repórteres e câmeras (foto e vídeo)
Gustavo Oliveira e Henrique Medeiros – Câmeras (foto e vídeo)

Imprensa Jovem do Tenente Aviador na Bienal do Livro 2016

O grupo da Imprensa Jovem da escola Tenente Aviador visitou pela primeira vez a Bienal do livro para descobrir um pouco mais sobre o evento.

02/09/2016

Nós, da imprensa jovem da escola Tenente Aviador, no dia 02 de setembro de 2016, visitamos a Bienal do Livro. Fizemos essa visita com base em um trabalho de telejornalismo que fizemos dentro da escola. Esse trabalho se resumiu em fazer entrevistas com as pessoas da escola, sobre livros, literatura e jovens escritores para aprendermos mais sobre o telejornalismo.

A equipe pôde, pela primeira vez, visitar a Bienal do livro para uma cobertura sobre a literatura. Além de realizarmos muitas entrevistas divertidas e empolgantes, também pudemos ter uma ótima experiência e ideias que usaremos futuramente. Entrevistamos pessoas sensacionais que têm uma ótima formação e que nos deram a oportunidade de os conhecer e explorar melhor seus trabalhos.

Encontramos pessoas incríveis, autores com um ótimo trabalho, atores que viraram escritores recentemente, muitos visitantes e pessoas que mostram seu trabalho com muito amor e dedicação, como contadores de histórias, youtubers ou palestrantes, entre outros. Não tivemos muito tempo, mas o tempo foi suficiente para vermos um pouco de tudo para depois conhecermos melhor.

bienal16_02set_emeftenenteaviador_entrevistadaleticiakuerten_reportermariana_arthur
Letícia Kuerten falando sobre seu livro aos repórteres Mariana Fonseca e Arthur Lopes

Nossa primeira entrevista foi com os contadores de história da Cia. Prosa dos Ventos, com Élcio Rodrigues e Helena Ritto. Eles falaram um pouco do trabalho deles, a formação profissional, os planos futuros para a companhia, há quanto tempo eles fazem esse trabalho, em que lugares eles apresentam suas histórias e as redes sociais em que estão presentes. É um trabalho muito interessante voltado principalmente para crianças. Eles contam histórias infantis com bonecos de fantoche e outros instrumentos de trabalho.

Participam também do programa Quintal da Cultura, do canal Cultura, que é um programa com variações de brincadeiras e divertimentos para crianças. Nós da equipe estávamos muito nervosos por conta de ser nossa primeira entrevista da imprensa jovem, mas correu tudo bem.

A segunda entrevista foi com a Thalita Rebouças, uma jornalista e escritora, que escreve livros diretamente para jovens. Conversamos muito sobre seu trabalho, como é ser uma escritora conhecida entre os jovens, quais foram seus últimos trabalhos, e como ela se sente alcançando tantas pessoas com sua escrita. Uma pessoa maravilhosa e com um ótimo humor. Acompanhamos ela até o estande da Submarino, e lá pudemos ver a reação dos fãs ao avistar uma escritora que faz um trabalho que é parte da sua leitura. Thalita recebeu muitos elogios, pedidos de autógrafos, fotos e, claro, uma coisa que não podia faltar, atenção.

A nossa terceira entrevista, foi com o escritor José Jurandir, que é um escritor de um livro que se chama Diga Giz. Este é um livro conhecido como o livro do educador. Esse livro dá instruções e dicas de como ter uma boa formação na área de educação. O livro foi escrito juntamente com Fernando Adoka com o objetivo de formar um bom professor e melhorar a educação. No decorrer da entrevista, ele comentou sobre sua formação, seus projetos, seus planos futuros, e também comentou sobre o livro. Além disso, ele citou uma frase que ele diz achar essencial. A frase diz o seguinte: “A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo”. – Nelson Mandela. A interpretação dessa frase, quer dizer mais ou menos, que sem educação não há nada. A educação é a chave do conhecimento do mundo.

A quarta e ultima entrevista, foi com a Leticia Kuerten, uma escritora de livros infantil, ela estava na bienal apresentando o livro Vou Brincar, um livro para crianças, que é uma caixinha de brincadeiras. Esse livro tem um regulamento de dificuldades entre as brincadeiras. Há cartões vermelhos, que são as brincadeiras mais difíceis, os cartões amarelos, que são as brincadeiras medianas, e os cartões verdes, que são as brincadeiras mais fáceis. Ela cita ter escrito esse livro em homenagem aos dois filhos gêmeos de 13 anos que possuem uma doença chamada paralisia cerebral. Esse livro ajuda a criança desenvolver mais a coordenação motora, e outros sentidos e funções do corpo. O livro também tem como intenção dar experiência para as crianças, e também dicas de brincadeiras em geral.

As duas últimas entrevistas foram feitas no estúdio da rádio do projeto Imprensa Jovem, da Prefeitura de São Paulo.

bienal16_02set_emeftenenteaviador_entrevistadojosejurandir_reportermariana_arthur
Autor José Jurandir, do livro DigaGiz, em entrevia no estúdio da rádio Imprensa Jovem com os repórteres Mariana Fonseca e Arthur Lopes

A experiência para nós da equipe da imprensa jovem foi um presente. Foi muito bom aprender coisas novas, sentir-se como um repórter profissional, e também receber os elogios dos entrevistados e do público em geral que estava na feira. Isso nos deu ainda mais curiosidade de aprender coisas novas. Foi a nossa primeira vez no imprensa jovem, o que nos deu uma certa insegurança no início, o medo errar, de falar algum dado ou nome errado, isso deu um medo. Mas, logo após chegarmos e ver que isso era mais uma forma de se divertir, a tensão foi passando e aos poucos ficamos mais seguros com nosso trabalho.
Esperamos ter feito um bom trabalho e ter dado um bom proveito a todo o esforço que tivemos durante aquelas horas. Queremos ter mais oportunidades de voltar e fazer um novo trabalho, novas metas para cada vez cumprimos mais aprendizados.

Queremos agradecer pela oportunidade e o acréscimo de experiência que tivemos com todo pessoal, com a equipe tanto da imprensa jovem, quanto da nossa equipe também, os professores, produtores e todos que trabalharam nas entrevistas. Foi uma ótima experiência e um bom aprendizado que iremos levar por toda nossa vida.

bienal16_02set_emeftenenteaviador_equipeimprensajovem
Equipe Imprensa Jovem Tenente Aviador
EMEF TEN. AVIADOR FREDERICO GUSTAVO DOS SANTOS
Imprensa Jovem
Professor Bruno
Mariana Fonseca – Repórter
Arthur Lopes – Repórter
Letícia Malaquias – Fotógrafa
Lucas Kodji – Câmera Man
Lucas Cunha – assistente

Cobertura da 24 Bienal do Livro de São Paulo

Projeto Dentro da História encantou a todos na Bienal realizando o Sonho de qualquer amante da Turma da Mônica: Entrar dentro da História com seus personagens tão queridos.

data

De 26 de agosto a 4 de setembro, no pavilhão de exposições do Anhembi, aconteceu o maior evento literário da América Latina. Foram centenas de expositores, autores nacionais e internacionais, palestras, sessões de autógrafo, livros e atividades distribuídas pela programação que teve como tema “Historia em todos os sentidos”. Mais uma vez os organizadores conseguiram quebrar paradigmas e fazer do evento desse ano mais que uma feira de livros, e sim um lugar de diversidades culturais. A bienal se transformou em um lugar de ouvir, sentir, ver e tocar histórias.

No entanto uma das maiores atrações, com certeza, foi a novidade que o Projeto: “Dentro da História” em parceria com o estúdio Maurício Sousa, trouxe aos visitantes nessa edição. Quem nunca se imaginou um personagem da Turma da Mônica? Mas, quem poderia um dia sonhar estar dentro de uma historinha da turma e ainda ter seu próprio gibi?

Graças à tecnologia e o projeto Dentro da História o visitante da Bienal pôde realizar esse sonho. Através do computador qualquer pessoa poderia criar seu avatar igualzinho a turma, ser a personagem principal e ainda ir para casa com o livro debaixo do braço assinado por Maurício de Sousa. Não é incrível? Um dos idealizadores do Projeto Diego Moraes e Francisco Mendes cederam uma entrevista para a Imprensa Jovem. Não deixem de conferir.

Vídeo da entrevista: https://www.youtube.com/watch?v=7Nf8bnxE5_U

bienal160109emefceuperamarmelodiegomoraesefranciscomendes

EMEF CEU PÊRA MARMELO
Imprensa Jovem
Professora Ana Claudia Tavares Caetano
Nathã Braga – Editor
Aryadne Gomes – Repórter/ áudio
Thayna Heger – Repórter
Camille Braga- Câmera
Lívia Ribeiro – Pauteira

Equipe Conexão Jovem marca presença na 24 Bienal do Livro em São Paulo

Com muita disposição e alegria visitamos o maior e mais aguardado evento literário e cultural da cidade de São Paulo.

31/08/2016

No dia 31 de agosto, nossa equipe realizou a cobertura da 24° Bienal Internacional do Livro de São Paulo, com o suporte do núcleo de Educomunicação da SME. Várias equipes que participam do projeto Imprensa Jovem também realizaram a cobertura do evento que contou com a participação de escritores, artistas, blogueiros, e youtubers.

bienal1631agoemefmantonioalvesverissimojoaocanda
Escritor João Canda e equipe Conexão Jovem

Prestigiando o evento, além dos escritores nacionais, também estavam presentes escritores internacionais como o egípcio Moustafa Assem e o angolano João Canda, que concederam entrevistas no estúdio montado pela prefeitura de São Paulo.

bienal1631agoemefmantonioalvesverissimocoletivafranciscocuoco
Coletiva de imprensa com as equipes do Imprensa Jovem

Um dos pontos altos do evento foi a coletiva de imprensa realizada com o ator Francisco Cuoco, o teólogo Edward Guimarães e os músicos Bruno Gouveia e Carlos Coelho, integrantes da banda Biquíni Cavadão, que falaram um pouco sobre o audiolivro A Vida dos Santos. Narrado por Francisco Cuoco, com textos do teólogo Edward Guimarães e coordenado por Bruno Gouveia e Carlos Coelho entre outros, o audiolivro aborda a história de alguns santos católicos.

bienal1631agoemeftmantonioalvesvarissimodoequipeconexaojovem
Equipe Conexão Jovem

Com inúmeras atividades, debates e palestras, a 24º Bienal do Livro deixou um legado cultural vivo e dinâmico na vida das pessoas que visitaram o evento.

EMEF ANTÔNIO ALVES VERÍSSIMO
Imprensa Jovem
Professora Andreia Duque De Moraes Campos
Jefferson da Silva, Guilherme Marcionilo, José da Silva – Edição
Júlia Rocha, Felipe Alencar, Pedro Silva, Melissa Santana, Laysla Dias – Reportagem
Maysa Fernanda, Yasmin Silva – Fotografia
Daniel Santos, Wallace Santos, Paulo Henrique – Câmeras

Visita à Bienal Internacional do Livro

A equipe da EMEF Padre José Pegoraro fez a cobertura da Bienal Internacional do Livro nesta sexta-feira 02 de setembro.

02/09/2016

Essa foi nossa primeira cobertura da Bienal, achamos muito impressionante a quantidade de livros que vimos, não tínhamos ideia do quão grande era o espaço. Somos amantes dos livros e por isso ficamos muito empolgados quando chegamos lá. Além dos livros também tinha espaço para ouvir músicas, área de palestras, praça de alimentação. Dava até para morar dentro da Bienal!

Neste dia (02/09) pela manhã houve uma palestra com o Lucas Rangel, que além de vídeos no YouTube e Vine, já fez programas de TV, livro e dublagem, Lucas também tem uma peça teatral circulando pelo Brasil (“Não São Só Seis Segundos”), em que exibe seus personagens do Vine e YouTube. Gostaríamos de ter feito uma entrevista com ele, porém isso não foi possível.

Mais tarde encontramos a Thalita Rebouças dando autógrafos na Livraria Saraiva, mas não conseguimos falar com ela, porque estava quase na hora de ir embora e a fila estava imensa. O livro que ela estava autografando era “Confissões de uma Garota Excluída, Mal Amada e (um pouco) Dramática”, com o tema sobre bullying.

Havia muitos grupos de escolas, a maioria adolescentes, mas também vimos muitas crianças pequenas por lá, isso é muito importante, porque incentiva as pessoas a lerem desde pequenas. Um espaço interessante que visitamos foi o game monte livro, da editora SESC, lá a ideia era aprender sobre as diversas partes de um livro a partir de um jogo, a maioria das crianças menores gostaram muito do game e mesmo nós (que também experimentamos) achamos divertido. Visitar a Bienal foi uma experiência muito legal e esperamos repetir a dose daqui a dois anos.

EMEF PADRE JOSÉ PEGORARO
Imprensa Jovem
Professores Renata Ribeiro Yamaguti e Carlos Alberto Ribeiro Amorim
Lara Eva Alves Soares – redação e fotografia
Ruan Pablo Rodrigues Araújo – redação e fotografia
João Victor Souza Abdala – entrevista e edição
Wesley Rafael Rodrigues da Costa – áudio e edição
Gustavo Feitosa Teixeira – filmagem e edição

EMEF Pegoraro entrevista Francis Manzoni sobre a criação do jogo “monte seu livro”

A equipe de educomunicação da EMEF Padre José Pegoraro entrevistou o senhor Francis Manzoni, coordenador editorial das Edições SESC São Paulo, nesta última sexta-feira, 02 de setembro, durante a Bienal Internacional do Livro.

02/09/2016

A proposta das Edições SESC São Paulo foi de mostrar ao público como um livro é produzido, desde sua criação até sua venda, uma das ações foi o jogo “monte seu livro”, onde a ideia era aprender sobre as diversas partes de um livro, de uma forma leve e divertida.

JP – Como surgiu a ideia de fazer um jogo para a Bienal?

FM – Esse game foi feito pelas redes sociais, um grupo de pessoas, eu fui uma delas, o Jefferson que não está aqui, e mais algumas pessoas da editora, tiveram a ideia de fazer um jogo para a Bienal do Livro, que fosse uma brincadeira, mas que ao mesmo tempo ensinasse para as pessoas o nome de algumas partes do livro, por exemplo: capa, miolo, índice… e toda a parte de criação de um livro, para as pessoas entenderem como é que um livro é construído dentro de uma editora. Só que isso feito de uma forma leve: conforme ela vai jogando vão aparecendo uns balões com as informações, então é uma brincadeira, mas ao mesmo tempo é um jogo educativo.

JP – Quanto tempo demorou para fazer esse jogo? Como foi o processo?

FM – Foi neste ano, acho que há uns dois ou três meses atrás, nós convidamos uma empresa que cria jogos chamada Usina Animada, passamos as ideias para eles e eles criaram o jogo para gente. Primeiro a gente teve as ideias e depois de uma série de propostas, a gente quis falar sobre as partes do livro que a gente queria que as pessoas conhecessem. Então acho que todo mundo que joga sai sabendo alguma coisa diferente sobre as partes do livro.

EMEF PADRE JOSÉ PEGORARO
Imprensa Jovem
Professores Renata Ribeiro Yamaguti e Carlos Alberto Ribeiro Amorim
Lara Eva Alves Soares – redação e fotografia
Ruan Pablo Rodrigues Araújo – redação e fotografia
João Victor Souza Abdala – entrevista e edição
Wesley Rafael Rodrigues da Costa – áudio e edição
Gustavo Feitosa Teixeira – filmagem e edição

Imprensa Teen Azanha na Bienal Internacional do Livro de São Paulo

Em sua primeira cobertura jornalística, a equipe Imprensa Teen Azanha entrevistou Ziraldo, Mari Vasconi, Pedro Ivo e José Eustáquio Romão. Grandes momentos para os alunos repórteres.

03/09/2016

A 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo ocorreu entre os dias 26/08 e 04/09/2016. A cobertura jornalística realizada pela equipe Imprensa Teen Azanha, da EMEF Professor José Mario Pires Azanha, da Diretoria Regional de Educação São Miguel, na Vila Progresso, ocorreu em 03/09, proporcionando aos alunos repórteres a honra de entrevistar o escritor e cartunista Ziraldo. Hoje, com 83 anos, tendo ‘’O Menino Maluquinho’’ como principal obra, a qual foi adaptada para a televisão e para o cinema.

whatsapp-image-2016-09-03-at-12-07-37
Equipe Imprensa Teen Azanha entrevista Ziraldo na 24ª Bienal Internacional do Livro

Em entrevista exclusiva no espaço da Editora Melhoramentos, após sessão de autógrafo no estande interativo da Saraiva, Ziraldo falou sobre a importância de suas obras, a sua inspiração e deixou um recado para os alunos da escola, o qual poderia ser para qualquer criança e adolescente em idade escolar: “Trata de ler muito, se esforça pra entender o que tá lendo e exercita pra escrever o que você tá pensando, se não você vai ser sempre uma meia pessoa”.

Entre os entrevistados pela equipe Imprensa Teen Azanha no espaço da Prefeitura de São Paulo estão a blogueira e youtuber Mari Vasconi, que falou sobre seu trabalho na internet com dicas de finalização de cabelos cacheados e revelou a intenção de escrever um romance; Pedro Ivo, responsável pelo projeto “O cerrado na escola”, com um livro em lançamento; e o diretor fundador do Instituto Paulo Freire, José Eustaquio Romão, que falou sobre a importância de Paulo Freire para a educação.

whatsapp-image-2016-09-03-at-14-29-06
José Eustaquio Romão, diretor fundador do Instituto Paulo Freire em entrevista com equipe Caçadores de Notícias.

Esta última em parceria com a equipe Caçadores de Notícias, da EMEF Sud Mennucci, da mesma diretoria de educação. Entre o público presente, Eunice Emília Jansons Almeida, professora universitária e da Educação Básica, falou ao Imprensa Teen Azanha sobre o seu interesse na Bienal do Livro. Ali Momade Atumani, um dos responsáveis pelo estande da Federação das Associações Muçulmanas do Brasil (FAMBRAS), falou a respeito da importância da divulgação da cultura muçulmana como uma cultura de paz durante o evento.

Vídeo da entrevista: https://www.youtube.com/watch?v=VKuV9PJCxQ8&feature=youtu.be

EMEF PROF. JOSÉ MÁRIO PIRES AZANHA
Imprensa Jovem
Professoras Aline Abade, Erika Monfardini e Neffertite Marques
Matheus dos Santos Almeida – Repórter
Julia Garrido da Silva Franco – Repórter
Karolyne Lopes de Oliveira – Repórter
Lucas Fernandes Santana – Câmera
Maria Eduarda Espindola Rodrigues – Assistente

Alunos do projeto rádio da EMEF Profª Thereza Maciel de Paula na Bienal do Livro de São Paulo em entrevista com a autora Anna Claudia Ramos

Alunos da Rádio Thereza Music participaram da cobertura jornalística da 24 Bienal Internacional do livro de São Paulo no dia 30 de agosto entrevistando Anna Claudia Ramos, autora do Livro Enfim, Atleta!

30/08/2016
bienal430agoEmefProfaTherezaMacieldePaulaAnnaClaudiaRamos.JPG
Entrevista com a escritora Anna Claudia Ramos

Anna Claudia Ramos nasceu em junho de 1966 na cidade do Rio de Janeiro. É graduada em Letras pela PUC/Rio e mestre em Ciência da Literatura pela UFRJ. Além de escritora, também é ilustradora. Publicou seu primeiro livro em 1992. É uma autora que adora inventar, sonhar e imaginar, como podemos ver em sua recente obra Enfim, Atleta.

Imprensa Jovem: O que motivou você a escrever?

Anna Claudia Ramos: Eu era uma criança inventadeira (sic) sabe aquela criança que não se satisfaz? Antes de saber escrever eu fazia um monte rabisco e falava que era uma historia, uma das minhas maiores invenções foi criar um cavalo voador e depois quando eu era louca para passar ferias na fazenda do meu avô, mas eu não tinha um avô fazendeiro eu crie a fazenda do meu avô e botei o meu cavalo lá, daí pra eu virar escritora foi um pulo, era um sonho de criança virar escritora.

Imprensa Jovem:  O que você acha dos livros digitais?

Anna Claudia Ramos: Olha, eu acho sensacional mais eu sou super adepta aos livros impressos eu prefiro mil vezes o livro impresso, mas os livros digitais estão aí, eles chegam numa demanda no mercado que muitas vezes o impresso não chega, não podemos esquecer que vivemos num país continental, um país do tamanho do nosso Brasil, que um livro não chega numa cidade muito distante, mas o livro digital chega então né, mas não só o livro digital mas as mídias, elas tem que vir para somar e não subtrair então a gente tem que aprender a conversar com todas as linguagens.

Imprensa Jovem: Em quem você se inspirou para e escrever “Enfim Atleta”?

Anna Claudia Ramos: Enfim atleta me inspirei muito nas crianças que participam de projeto sociais, antes disso eu queria criar uma historia de uma menina que nasce numa cidade do interior que nem no mapa existe e ela tem o sonho de ser tenista e ninguém entendia como aquela criança que tinha nascido no lugar que nem no mapa existia ser logo tenista , um esporte não muito usual vamos dizer assim, então eu queria mostrar com essa historia a determinação, e que você não desistir do seu sonho por mais louco e maluco ou grandioso que seja, e ela sempre fala isso, não desiste do seu sonho por mais louco e maluco ou grandioso que ele pareça então eu crio a Antônia. O que acontece nas historia dela é que as pessoas vão ter que descobrir o que acontece que ela enfim torna uma atleta mais ela vai chegar a estudar o tênis e praticar no projeto social que oferece a modalidade tênis, em locais onde as crianças não teriam acesso, a essa modalidade de esporte. E pense em que aconteceu na nossa olimpíada a gente teve aí uma medalhista, a Rafaela do judô, que saiu de um projeto social. Parecia que parecia que eu estava prevendo que podia acontecer e eu acho que se você mostra pra sociedade você não pode desistir daquilo que você é, vocês tem sonhos, vocês estão aqui na imprensa jovem feita de jovens que tem sonho, vocês são o futuro desse país, não desista do sonho de vocês. E como a Antônia, esse livro que foi publicado pela editora Paulinas pudesse dizer isso pra pessoas, saber correr atrás do seu sonho. Eu corri atrás do meu sonho, me tornei uma escritora.

Imprensa Jovem: O que você esta achado em divulgar seus trabalhos aqui na Bienal?

Anna Claudia Ramos: Eu acho sempre importante, por que a Bienal é uma festa do livro, um evento maior, um evento internacional, e estar aqui é importante. Marcar presença é importante, fazer contatos para futuros trabalhos, como por exemplo, o que está aqui conhecendo a imprensa jovem achando o máximo esse trabalho, podendo falar sobre o livro Enfim Atleta, contar a historia da Antônia e divulgar nossos trabalhos. Acredito em novos leitores e aqui é o lugar para plantar essa sementinha.

Imprensa Jovem: O que você Está achando da Bienal esse ano?

Anna Claudia Ramos: A Bienal é um modelo muito grande, muito agitado. Vou ficar muito feliz, o dia em que as pessoas virem à Bienal querendo livros, comprar livros, não vou ficar tranquila na minha vida enquanto livro não for objeto de desejo igual a um smartphone, cada vez que ouço alguém dizer que livro é caro, digo não, caro é seu celular, seu tênis, livro não é caro, não é seu objeto de desejo porque o dia em que ele for seu objeto de desejo você não achará caro. Quando as pessoas vieram à Bienal para ter um encontro com os autores, participar dos debates irei ficar muito feliz.

bienal530agoemefprofatherezamacieldepaulaviniciusgrossos
EMEF PROFª THEREZA MACIEL DE PAULA
Imprensa Jovem
Professor Flávio Rogério Gonçalves de Assis
Adryan Wallefh Pereira Coêlho – Entrevistador
Ana Caroline Oliveira da Silva – Fotografa
Lucas Soares Amorim – Cinegrafista/Apoio
Mariana Alves de Souza – Fotografa/Apoio
Jonathan Gomes dos Santos – Entrevistador

Das passarelas às panelas

Beleza que se põe à mesa, uma entrevista com Rita Lobo.

03/09/2016

Das passarelas às panelas – Beleza que se põe à mesa, uma entrevista com Rita Lobo
Por Deividi Gomes, Kevin Ferneda e Pedro Miguel.

sud-bienal-rita-loboRita Lobo com equipe Caçadores de Notícias

No dia 03 de setembro os Caçadores de Notícias foram conferir de perto a 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo. A Bienal desse ano aconteceu entre os dias 26 de agosto e 04 de setembro, no Pavilhão de Exposições do Anhembi. Essa edição contou com a presença de diversos autores, ilustradores e youtubers, que deixaram a galera enlouquecida.

As equipes de Imprensa Jovem se revezaram para garantir a cobertura de todos os dias do evento, o trabalho foi puxado, mas é super gratificante. Por falar em gratificante, pense na alegria da nossa equipe ao ver de pertinho Rita Lobo, que está lançando esse ano o livro “O que tem na geladeira?”. Nesse livro encontramos mais de 200 receitas em 30 capítulos, cada um dedicado a um alimento. De abóbora a tomate, passando por batata-doce, berinjela, beterraba, brócolis – no livro os 30 alimentos aparecem em ordem alfabética, para ficar bem fácil de olhar o que você tem na geladeira e encontrar sugestões de receitas!
A beleza de Rita Lobo a levou para as passarelas, mas a modelo decidiu trocar a moda pelo fogão. Viajava mundo afora e adorava provar comidas. Formou-se em gastronomia nos EUA e chegou ter um restaurante de comida tailandesa, em São Paulo. Em 1995, a chef começou a escrever sobre comida e, em 2000, criou o site Panelinha.

Confira no link https://youtu.be/jrSM9kcEgcU  a entrevista exclusiva que a escritora cedeu a nossa equipe, falando um pouquinho do seu trabalho, do site Panelinha e sua trajetória de sucesso no mundo gastronômico.

EMEF SUD MENNUCCI
Imprensa Jovem
Professora Ana Paula Maia Silva
Deividi Gomes – Filmagem
Kevin Ferneda – Edição
Pedro Miguel – Entrevista

Cobertura Jornalística da Imprensa Jovem na 24ª Bienal Internacional do Livro

A Imprensa Jovem da EMEF Prof. João de Souza Ferraz participou da 24ª Bienal Internacional do Livro.

02/09/2016

A nossa segunda participação na Cobertura Jornalística da Bienal do Livro com a equipe da Rádio Ferraz, representada por dez alunas.

bienal-3008agoemefprofjoaodesouzaferraz

O Pavilhão do Anhembi estava cheio de atrações, no roteiro notícias sobre: escritores, cosplayer, sarau e teatro. Foi emocionante a recepção no estande da prefeitura pelo Carlos Lima e também, por todos aqueles que se deixaram entrevistar.

Essa experiência foi muito significativa para nós, pois tivemos a oportunidade de provar na prática aquilo que temos aprendido da Imprensa Jovem.

Vídeo da entrevista: https://www.youtube.com/watch?v=iafXFmVaBWU

EMEF Prof. João de Souza Ferraz
Imprensa Jovem
Professora Erlane Nogueira Rodrigues
Angélica de Souza
Carla Bacine
Emanuelle Felis
Giovanna Camilly
Juliana Gil
Jullya Soares
Mariana Chagas
Myrella Escudeiro
Rafaela Teixeira